As aquisições milionárias da Microsoft

microsoft

Neste ano a Microsoft completou 37 anos e é o que podemos chamar de uma empresa de sucesso. Em todos esses anos, a companhia de Bill Gates já comprou mais de 150 empresas. A aquisição mais cara até então aconteceu no ano passado, quando comprou o Skype por $8,5 bilhões.

Em meio a tantas fusões e processos para considerar, é difícil reduzir a lista para as  mais importantes. Quais empresas significam mais quando se trata de processos e aquisições? Quais delas tiveram um impacto mais duradouro? Veja:

Forethought (1987)

Uma das compras mais inteligentes que a Microsoft fez foi a da Forethought, por 14 milhões de dólares. A companhia se transformou na Microsoft Graphics Unit e o seu principal produto, chamado Apresentador, tornou-se o PowerPoint.

Hotmail (1997)

Hotmail foi a empresa mais cara adquirida pela Microsoft, comprada por $400 milhões. O serviço de e-mail foi lançado um ano antes, em 4 de julho, para simbolizar a liberdade de acessar uma caixa de e-mails de qualquer lugar usando a interface web.

WebTV (1997)

Não levou muito tempo para a Microsoft quebrar outro recorde pagando meio bilhão de dólares para ter a WebTV Networks. A companhia foi fundada com o objetivo de fundir o computador à televisão.

Bungie (2000)

O criador de games Bungie foi fundado em 1991 para criar jogos para Macintosh OS, com sucessos como o jogo de tiro em primeira pessoa Marathon, a resposta versão MAC para o game Doom. Em 1999, a Bungie estava criando um jogo, até a Microsoft comprá-la e obter os direitos sobre o game chamado Halo, que hoje possui milhares de fãs.

Lindows (2004)

Lindows era uma versão comercial do sistema operacional Linux. A Microsoft, é claro, processou a companhia em dezembro de 2001 por violação de marca, mas perdeu. Em julho de 2004 a Microsoft comprou a marca Lindows por $20 milhões e a tornou Linspire.

Veja também: Microsoft muda sua logo depois de 25 anos

Pin It

Uma resposta para As aquisições milionárias da Microsoft

  1. Pingback: Atualização do Windows: fazer ou não? | Magic Blog

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*