Blog Rede Magic

TLD’s – tire o “.com” do seu site

 TLD’s – tire o “.com” do seu site - Magic Web Design

Janeiro significou um novo passo na história da internet. A partir deste mês qualquer empresa – desde que disponha de US$ 185 mil e mais algumas centenas de dólares anuais – poderá registrar sites com dominios próprios, denominados “novos domínios genéricos superiores” ou  TLD’s (em inglês).

Esses novos domínios poderão ser comercializados na internet assim como o .br, .com, .net, dentre outros. Ou seja, poderão existir sufixos como .design, .news e .eco. O .web, por exemplo, já tem 13 concorrentes. A empresa que o conseguir poderá vender o domínio .web para várias outras companhias ou usuários.

A vantagem para as empresas que vão comprar domínios com os novos TLD’s é que elas terão a possibilidade de trabalhar melhor sua marca na internet, tanto na questão da propaganda quanto no posicionamento nos mecanismos de busca.

Menos fraudes?

É o que diz a Icann (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers), organização responsável pela alocação de espaços de endereços de IP e pela administração de sistemas de domínios.

Aquele malandro, que gostava de enviar comunicados falsos via e-mail à procura de senhas e dados privados das pessoas não terá mais como atuar. Isso quer dizer que as fraudes virtuais, que afetam milhares de empresas e pessoas espalhadas pelo mundo, vão ganhar um novo inimigo.

A parte ruim

O lado ruim da novidade, além do preço altíssimo, é que empresas poderão travar grandes batalhas por um domínio.

Brasileiro… um pouco atrasado

O advogado Rodrigo Azevedo, que coordena um grupo de Propriedade Intelectual e Tecnologia da Informação, disse em entrevista a um jornal de Curitiba que a informação sobre os TLD’s não foi bem difundida por aqui. “As empresas brasileiras sequer sabem dessa oportunidade que se iniciou neste mês”, afirmou.

Processo demorado

Para quem tiver interesse em comprar um TDL, o registro deve ser feito até dia 21 de abril deste ano.  Segundo nota divulgada pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), o processo pode demorar um bom tempo, já que a avaliação será feita pelo Icann. “Espera-se que os primeiros sufixos que forem aprovados no processo de análise e forem concedidos entrem em atividade somente no 1º trimestre de 2013”.

E vocês, o que acharam dessa novidade?

Veja mais: Pesquisa mostra como brasileiro pesquisa na web!

Pin It

Comentários Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*